COMO REAGIR À SUBIDA DAS TAXAS DE JURO

  • 2 meses atrás
  • 0
Subida Das Taxas De Juro

A subida das taxas de juro é uma realidade que veio para ficar e com a qual temos de conviver.

A inflação provocada pelo aumento de preço dos produtos de consumo (como, por exemplo, os combustíveis) e a escassez de bens e matérias-primas devido à guerra na Ucrânia, levou a uma subida das taxas de juro por parte do Banco Central Europeu (BCE).

Por isso, se estás a pensar comprar casa, é importante saberes que influência esta medida terá na tua decisão e como te podes precaver.

Ora, que impacto tem a subida dos juros no crédito à habitação?

A subida dos juros no crédito à habitação tem impacto sobretudo nas famílias que já contraíram empréstimos com taxa de juro variável.

Quando a Euribor cresce, os juros dos empréstimos e as mensalidades das famílias aumentam também.

Por outro lado, o aumento da inflação faz com que as casas também fiquem mais caras, o que leva os consumidores a contraírem empréstimos mais altos.

Assim sendo…

Como podes manter o crédito à habitação controlado?

Se já tiveres contraído um empréstimo, uma das estratégias é fixar a taxa de juro.

Para os empréstimos à habitação, os bancos oferecem duas possibilidades: 

A taxa variável, que é revista periodicamente com base na evolução da Euribor;
A taxa fixa, que é sempre a mesma ao longo de todo o empréstimo (ou durante um tempo determinado), sendo que, no curto prazo, ficará mais alta que a taxa variável.

Qual a melhor solução?

A taxa variável é uma boa opção quando a Euribor está a descer, pois sempre que esta baixa, as mensalidades baixam também.

No entanto, agora que a Euribor está a subir, a taxa fixa pode ser uma melhor opção, uma vez que é indiferente às oscilações da Euribor.

Assim, ficas protegido de uma subida das taxas de juro mas não irás beneficiar com as eventuais descidas (lembra-te que o banco permite-te mudares de uma taxa variável para uma taxa fixa mas não te permite voltar a ter uma taxa variável, a não ser que esteja previamente acordado).

Outras soluções

Outra forma de reagires à subida das taxas de juro passa por tentares renegociar o spread junto do teu banco.

O spread é a margem de lucro do banco quando concede um empréstimo e é livremente definido pela instituição.

Podes tentar negociar uma descida do spread com o teu banco, mas antes faz uma comparação com as ofertas de outras instituições bancárias.

Desta forma, terás uma ideia mais clara do que o mercado está a oferecer e até onde podes ir.

Quanto mais conseguires descer o spread, mais se amortece a subida da taxa de juro.

Caso o teu banco não cubra alguma oferta mais atrativa de outro, podes sempre considerar transferir o teu crédito à habitação.

Por falar em amortizar…

Se tens algum dinheiro de parte (além do que está guardado no teu fundo de emergência), podes usá-lo na amortização da dívida ao banco.

No entanto, não te esqueças que a amortização também tem um custo (geralmente, 0,5% do montante amortizado), salvo casos excecionais como, por exemplo, uma situação de desemprego ou de deslocação por razões profissionais.

Por isso, convém perceberes se o que vais poupar com a diminuição da prestação compensa os gastos relacionados com a amortização.

Posto isto, podemos concluir que a subida das taxas de juro não é uma notícia animadora, mas também não é o fim do mundo, nem deve inviabilizar o teu sonho de comprar uma nova casa.

Há soluções ao teu dispor. Se necessitares de uma ajuda profissional com o teu crédito à habitação, fala connosco. Temos parceiros profissionais que te podem ajudar, de uma forma gratuita. O que tens a perder?

******* 

Entretanto, se queres vender a tua casa, estás à procura de uma casa nova ou tens alguma questão relacionada com o imobiliário, podemos ajudar-te. Contacta-nos hoje mesmo!

Félix Consultores
www.felixconsultores.pt

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

Compare listings

Comparar